Jun 26

Jun 19

Quem somos, de onde viemos, para onde vamos?

Somos o povo brasileiro,
Aquele que é capaz de comemorar
As vitórias todos juntos.
Mas, na hora da derrota,
Viramos defuntos.
Zumbis vorazes e arteiros
Da máxima: farinha pouca
Meu pirão primeiro.
Viemos de séculos
De sangue, lutas e sacanagens:
Meia dúzia de sacanas
Espertos e milhões de sacaneados.
Até agradecemos ao feno ofertado,
Melhor que chicotadas,
Ponham mais impostos e corrupção
Na carroça,
Perto do que já passamos
Isso não é nada.
Vamos para outro tempo
Onde o pacífico burro
Reclama e dá coice.
Aquela foice pasmaceira foi-se.
Talvez, essa a esperança,
Deixemos de ser pirralho.
Sai da frente, paspalho,
Finalmente crescemos,
Caralho! 

Ulisses Tavares – junho 2013.

Jan 28

Santa Maria

Choram as autoridades

Lágrimas de crocodilo

Esses competentes

Apenas nas maldades,

Uns trambolhos.

Já os parentes das vítimas

Não apenas choram.

Vertem sangue pelos olhos.