Ulisses Tavares » Concurso: Resultado (Janeiro 2012)

Concurso: Resultado (Janeiro 2012)

Lápides

Um dia quando,
a terra for meu chão
Serei semente ou grão

Não serei flor
nem botão
apenas pó
da natureza irmão

No túmulo talvez,
alguém, vá rezar…
Chorar não,
sou pó, sem raiz
nem tronco no chão…

Na lápide, somente
um número igual
de contexto diferente.

Entre, os ciprestes
tão mudos
como sombras expectrais
os silêncios dizem tudo
dos que já, não vivem mais.

Pirilampos pela noite
são estrelas tulmulares
acendem nas sombras
risos, dos vivos
em seus lugares.

Ninguém morre na verdade,
é só a transformação.

Natureza inovadora
artista da criação,
que do pó, dá vida à vida!
numa outra dimensão

Fátima Parente

Fátima Parente
Poeta, trovadora e contista.
Portuguesa de nascimento.
Vários livros publicados.
Inúmeras participações em antologias com prêmios até do exterior.