Década 60

Poesia em Bailes de Debutantes
(1966-1968 – Sorocaba e região – SP)

Dos 16 aos 18 anos, o poeta Ulisses Tavares viveu um conflito muito grande: como viver da arte que amava, a poesia?
A resposta prática foi simples e objetiva.
Conciliando o feijão e o sonho, o jovem poeta pediu emprestado um smoking e passou a declamar poemas românticos e melosos em bailes de debutantes nas cidades da região de Sorocaba. Deu tão certo, que viveu disso um bom tempo, já que o salário que ganhava como jornalista era uma merrequinha.
Atualmente, os bailes de debutantes voltaram a ser moda.
Quem sabe alguma sensível e graciosa jovem se lembra de chamar o agora velho, mas em forma, poeta, para seu debut? Contatos através do site, cachê bem mais em conta que show de música brega, rs. 

 

Jurado e Declamador
Em Concursos “Coloreds”

(1966-1967 – Sorocaba e região – SP)

Visto à distância, parece um mundo de dinossauros.
Mas Sorocaba e as cidades da região (do mundo inteiro, parece) eram racistas pra caramba.
Negro bom era aquele que reconhecia seu lugar. E seu lugar, se bem de vida, era nos clubes dos “Coloreds” (jeito chic de chamar os negros).
Ulisses Tavares, como colunista social mais importante de Sorocaba e região, adorava provocar os preconceituosos pois participava com prazer de todos os eventos em clubes dos “coloreds”.
Neles, declamava seus poemas contra o racismo, era jurado de concursos de beleza e normalmente era o único branco no salão.
Para cutucar ainda mais a conservadora sociedade imbecil da época, Ulisses sempre levava uma negra (de propósito, nem sempre a mais bonita) à tiracolo para os bailes do Sorocaba Club, Recreativo etc., onde os negros eram proibidos de entrar.
Mas quem ousaria barrar o intrépido colunista social que, além de tudo, era conhecido por armar seguidos barracos em defesa dos negros, essa “gentinha” como rotulavam as socialites?
Hoje até que é tranqüilo, mas quando Ulisses entrava para dançar com uma negra, o pessoal virava as costas, afrontado. Mas sorria para ele porque, ontem como hoje, a hipocrisia  é a regra da sociedade.